1 de maio de 2018

Abril termina como o mês mais chuvoso desde 2009

Açude Valério em Altaneira pode sangrar a qualquer momento (Foto: Antonio Leite)
O mês mais importante da quadra chuvosa chega ao fim com um saldo positivo para o Ceará. Com acúmulo de 217.8 milímetros (mm), abril é considerado o mês mais chuvoso nos últimos nove anos. O volume é 15,8% maior que a média histórica para abril (188 mm). De acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), o mês só não superou abril de 2009, que registrou 380.5 mm.

Após surpreender logo no início, com precipitações intensas em 167 municípios cearenses entre os dias 1º e 2, abril se manteve com chuvas regulares até a semana passada quando os números despencaram em decorrência do afastamento da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) da costa cearense, o principal sistema indutor de chuva no Estado. O pior saldo do mês foi entre os dias 25 e 26, quando choveu em apenas 24 municípios cearenses.

No último fim de semana, os números apresentaram melhora. Entre as 7 horas de domingo, 29, e o mesmo horário desta segunda, 30, dados da Funceme indicam chuva em 85 municípios. Apesar do aumento no número de cidades com chuva, o volume continua baixo. O maior registro foi em Palmácia, no Maciço de Baturité, com 40.2 mm, seguido de Ipu, na região Jaguaribana, marcando 37 mm, e Pacajus, com 36.8 mm. Na Capital, foram registrados 16.8 mm.

A partir do acumulado no trimestre de quadra chuvosa (fevereiro a abril) deste ano, as chuvas estão acima da média esperada: 516,6 mm. O registro climatológico comum para estes três meses juntos é de 510,1 mm. Considerando toda a quadra (fevereiro a maio), a média histórica é 600,7 mm. Este dado trimestral já é 85% do esperado para os quatro meses.

O meteorologista da Funceme Raul Fritz adiantou ao jornal O POVO que o mês de maio é historicamente menos chuvoso. Para os primeiros dias a previsão é de chuvas. Hoje (01/05) está previsto nebulosidade variável com eventos de chuva no centro-norte e no Cariri. Amanhã, 2, espera-se nebulosidade variável com possibilidade de chuva na faixa litorânea e no Maciço de Baturité. Nas demais regiões, céu parcialmente nublado.

A Funceme alerta que análise de imagens de satélite identificaram uma tendência de diminuição das precipitações ainda no dia 2, com retorno da regularidade pluviométrica na sexta-feira, 4. As previsões são atualizadas a cada três dias.

Abril foi tempo de esperança no cenário hídrico e para o sertanejo. O aporte dos açudes cearenses é o maior em sete anos, um total de 1,58 bilhão de metros cúbicos (m³), conforme dados da Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (Cogerh). O último recebimento de água expressivo foi em 2011, quando o Estado teve 7,84 bilhões de m³.

Atualmente, 17 açudes dos 155 monitorados pela Cogerh sangram. 84 ainda estão com volume inferior a 30%, 24 estão no volume morto e sete são considerados secos.

MESES MAIS CHUVOSOS DESTA DÉCADA:

 Abril de 2018 - 219 mm
 Janeiro de 2011 - 212,9 mm
 Março de 2017 - 206,2 mm
 Abril de 2011 - 196,9 mm
 Janeiro de 2016 - 191,8 mm

10 MAIORES CHUVAS ACUMULADAS POR MUNICÍPIOS NO MÊS:

 Granja (Posto: Adrianopolis) : 648.0 mm
 Ibiapina (Posto: Ibiapina) : 629.5 mm
 Granja (Posto: Pessoa Anta) : 620.0 mm
 Granja (Posto: Timonha) : 617.0 mm
 Icapuí (Posto: Icapui) : 535.0 mm
 Moraújo (Posto: Moraujo) : 492.0 mm
 Icapuí (Posto: Retiro Grande) : 462.0 mm
 Uruoca (Posto: Paracua) : 461.0 mm
 Viçosa do Ceará (Posto: Viçosa do Ceara) : 456.4 mm
 Coreaú (Posto: Sitio Urubu) : 447.0 mm

Com informações portal O Povo Online