3 de agosto de 2014

Muito mais ódio do que amor nas redes sociais durante as eleições

No Voto Conectado o eleitor confere quem, onde e como estão falando dos políticos  nas redes sociais (Imagem capturada do Portal)
As redes sociais são o terreno fértil onde brotam boatos e denúncias que podem ser cruciais para a imagem de um candidato – e há mais ódio que amor nesse ambiente, o que acende o sinal de alerta das coligações. Um levantamento do portal Voto Conectado, da empresa de monitoramento virtual Scup, mostra que 37% das menções feitas aos 11 candidatos à Presidência da República são negativas – somente 22% foram consideradas positivas.

Os dados foram colhidos de 29 de junho a 5 de julho, em 6,7% das mais de um milhões de menções coletadas no Facebook, Twitter, Google+ e Instagram sobre os concorrentes ao Palácio do Planalto. O levantamento mostrou, ainda, que uma entre quatro menções foram motivadas pela discussão sobre a ideologia e os valores dos candidatos.

O dia a dia da campanha (20%), compartilhamento de posts oficiais (7%), histórico político dos candidatos (7%), pesquisa eleitoral (6%), resultados do governo (5%), denúncia (5%) e propostas (5%) foram os outros assuntos mais comentados durante o período, segundo o Scup, que é sediado em São Paulo.

A empresa aponta outro aspecto interessante: 41% de todas as menções analisadas são compartilhamentos de notícias da imprensa tradicional.

O “O voto conectado” reúne uma série de conteúdos educativos sobre eleições e redes sociais para ajudar quem está trabalhando com marketing político 2.0. Além disso, apresenta um painel, produzido a partir de menções públicas nas redes sociais, a respeito dos principais pré-candidatos a presidente e governador do país (até 06/07) e candidatos oficiais após o lançamento da lista do TSE no início de julho de 2014.

O painel sobre os candidatos é abastecido com dados públicos coletados pela ferramenta Scup. A coleta é feita com base em expressões de busca que contêm o nome ou variações do nome dos principais candidatos a presidente e governador do país. Essas expressões são buscadas nas seguintes redes: Facebook, Twitter, Google+ e Instagram. A lista de expressões monitoradas pode ser acessada neste link. Para visualizar os dados, é preciso selecionar o nome do político e aguardar o carregamento da página.

Com informações O Povo Online