18 de agosto de 2014

O que esperar dos candidatos ao Governo no rádio e na TV

Nesta quarta-feira, começa a fase eletrônica da disputa eleitoral para o Palácio da Abolição. O jornal POVO na edição de hoje antecipa o que o público vai ver e ouvir nos primeiros programas eleitorais. As duas maiores candidaturas ao Governo do Estado - a do peemedebista Eunício Oliveira e a do petista Camilo Santana -, deverão seguir o formato já conhecido de propaganda eleitoral no rádio e TV, que começa esta semana. Tanto o PMDB quanto o PT deverá investir na apresentação do candidato, destacando qualidades da história de vida de cada um. 

A programação começa nesta terça-feira, 19, com os concorrentes à Presidência da República e Câmara dos Deputados. Na quarta, 20, tem início a propaganda dedicada ao Palácio da Abolição, Senado da República e Assembleia Legislativa.

Gaudêncio Lucena, vice-prefeito de Fortaleza e coordenador de campanha de Eunício, disse ao jornal O POVO que a apresentação de propostas acontecerá a partir do terceiro programa.

Questionado se o candidato do PMDB se apresentaria como aliado de Dilma, Gaudêncio afirmou que “no programa eleitoral do PMDB só pode aparecer a Dilma. Temos uma coligação com o PT (nacional) e nem que quiséssemos incluir outro candidato nós poderíamos”.

O coordenador adiantou, porém, que nos programas para o Senado, Tasso Jereissati (PSDB), que integra chapa com Eunício, pedirá votos para Aécio Neves (PSDB), e nos programas proporcionais, o PSC pedirá votos para Pastor Everaldo (PSC).

A candidatura do petista Camilo Santana, informou, via assessoria, que os primeiros programas “apresentarão” o concorrente governista, com foco, entre outros pontos, na passagem dele pela secretarias estadual do Desenvolvimento Agrário e da pasta das Cidades”

Concorrendo pelo PSB, a candidata Eliane Novais afirmou que os programas iniciais se dedicarão a homenagear Eduardo Campos, ex-governador de Pernambuco e presidenciável, morto na última quarta-feira, 13, vítima de acidente aéreo.

O Psol informou, via assessoria, que o partido pretende fazer um programa “diferenciado”, que será “a expressão das lutas e da militância do partido”. Os programas, portanto, deverão focar nas “lutas cotidianas” realizadas pelo Psol, mostrando sua atuação fora do período eleitoral.

Para a professora Rejane Vasconcelos Carvalho, do Laboratório de Estudos sobre Política, Eleições e Mídia (Lepem) da Universidade Federal do Ceará (UFC), a fase “eletrônica” da campanha deve se confirmar como a mais importante da corrida eleitoral.

A especialista prevê que Eunício não terá interesse nem em realçar o apoio a Dilma nem a aliança com o PSDB; Segundo ela, Camilo terá de enfrentar o polêmico “caso dos banheiros” e o fato de ser desconhecido.

Ainda segundo Rejane, Eliane tentará vincular sua imagem a Eduardo Campos e o Psol buscará dialogar com os segmentos que não acreditam na forma como a política é conduzida, atualmente.

Propaganda Eleitoral

Terça, quinta e sábado: Presidente e deputados federais.
Quarta, sexta e sábado: governador, senador e deputados estaduais.

Rádio: às 7h e 13h
TV: às 13h e 20h30min

Com informações O Povo Online