7 de agosto de 2014

Sem dados de Eunício, candidatos já gastaram R$ 1,6 milhão

TSE não divulgou dados da prestação de contas de Eunício
Os candidatos ao Governo do Ceará Ailton Lopes (Psol), Camilo Santana (PT) e Eliane Novais (PSB) declararam já ter gasto, juntos, R$ 1,6 milhão no primeiro mês da campanha. Os dados são da primeira prestação de contas apresentada pelos concorrentes à Justiça Eleitoral, divulgada na noite de ontem (06/08). 

Até o fechamento desta postagem, as receitas e despesas do candidato Eunício Oliveira (PMDB) não estavam disponíveis no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A equipe do peemedebista afirma que o balanço da campanha foi devidamente entregue no dia 1º de agosto.

Entre os três concorrentes cujos dados foram divulgados, Camilo Santana foi o que gastou mais. Individualmente, o item mais dispendioso foi a produção de pesquisas eleitorais interna (R$ 294,12 mil), ferramenta utilizada por grandes coligações para balizar as estratégias da campanha. Na soma dos gastos, no entanto, também pesou a produção de materiais impressos para publicidade, como santinhos, panfletos, adesivos e faixas (R$ 394,3 mil, no total).

Assim como ocorreu com Eunício, os dados sobre a receita do candidato petista também não estavam disponíveis no site do TSE – assim, também não foi possível verificar quem foram as pessoas físicas e jurídicas que colaboraram financeiramente com a campanha. A assessoria de imprensa também afirmou que todas as informações foram apresentadas no prazo.

Com doações oriundas, principalmente, da direção nacional do PSB, a candidata Eliane Novais declarou ter desembolsado R$ 218,7 mil dos R$ R$ 249 mil em caixa. O dinheiro foi para prestadores de serviço e para materiais publicitários. Já o candidato do Psol fez caixa com doações de pessoas físicas – com doações que variam de R$ 40,00 a R$ 2.000,00 – e gastou, principalmente, com material impresso.

Os candidatos tiveram até 2 de agosto para registrarem o balanço. A próxima prestação de contas parcial deverá ser entregue até 2 de setembro. A ausência caracteriza grave omissão de informação, o que pode repercutir na regularidade das contas finais.

O jornal O POVO tentou contato com o TSE para questionar sobre a ausência dos dados de alguns candidatos, mas, por causa do horário, não foi possível obter resposta. A responsável pela prestação de contas da campanha de Eunício não foi localizada, e outros membros da coligação não souberam informar dados sobre receitas e despesas.

Na campanha presidencial, de acordo com o levantamento, oito candidatos arrecadaram R$ 22 milhões em doações de empresas privadas. O total de despesas foi R$ 11,9 milhões.

Segundo a prestação de contas, quem mais arrecadou foi a presidenta Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, com R$ 9,6 milhões; seguida por Aécio Neves (PSDB), R$ 8,1 milhões; e Eduardo Campos (PSB), R$ 4,07 milhões. Os candidatos que menos conseguiram arrecadar foram Luciana Genro (PSOL), R$ 96,6 mil; Zé Maria (PSTU), R$ 38,3 mil; Levi Fidelix (PRTB), R$ 31,2 mil; Mauro Iasi (PCB), R$ 16,6 mil e Eymael (PSDC), R$ 15 mil.

Os candidatos Rui Costa Pimenta (PCO), Pastor Everaldo (PSC) e Eduardo Jorge (PV) informaram ao TSE que não tiveram arrecadação.

Com informações O Povo Online