19 de outubro de 2014

Indecisos na mira dos candidatos ao governo do Ceará

A uma semana da escolha do futuro governador cearense, o foco dos personagens centrais desta disputa deve concentrar-se na atração pelo voto dos indecisos.

O professor de ciências políticas da Universidade Federal do Ceará (UFC) Uriban Xavier explica que Eunício Oliveira (PMDB) e Camilo Santana (PT) encontrarão dificuldades de atrair o voto daqueles que já decidiram em quem vão votar, por mais que eles insistam num estratégia de desconstruir a imagem do adversário, durante o debate.

“Dentro de um quadro empatado, o papel dos assessores deles é fazer com que os candidatos busquem dialogar com aqueles que podem fazer a diferença: indecisos, brancos e até os que pensam em anular o voto. Geralmente, na ultima semana, quem já decidiu seu voto dificilmente muda de opção”, explica o estudioso.

Segundo ele, Camilo defenderá o que fez enquanto compôs o governo de Cid Gomes, à frente da Secretaria de Desenvolvimento Agrário e das Cidades, no segundo governo.

Já Eunício irá, na visão do professor, procurar defender a sua imagem de representação do sentimento “anti-Cid Gomes”.

Os dois candidatos se encontrarão hoje pela primeira vez em debate na TV O POVO, desde a confirmação da presença dos dois no segundo turno das eleições para o governo do Ceará. Camilo venceu a primeira etapa de maneira apertada, com 47,81% dos votos, enquanto Eunício veio logo depois, com 46,41%.

Na pesquisa divulgada na quinta-feira (16/10), o número de eleitores indecisos contabiliza 9%. E os que pretendem anular o voto são 6% das intenções.

O candidato ao governo pelo PMDB, Eunício Oliveira, faltou ao debate agendado para o mesmo dia de divulgação da pesquisa, na TV Ceará. De acordo com as regras do debate, firmadas em reunião com as duas coligações, a ausência de um dos candidatos resultaria em uma entrevista de cinquenta minutos com o candidato presente.

Assim, o deputado estadual Camilo Santana respondeu as perguntas do programa. O peemedebista justificou a ausência alegando compromissos de agenda previamente assumidos.

Com informações O Povo Online