15 de outubro de 2014

Debate da Band: Dilma e Aécio travaram o confronto mais agressivo destas eleições

Com críticas e ataques em todas as intervenções, a presidente e candidata à reeleição, Dilma Rousseff (PT), e o candidato de oposição Aécio Neves (PSDB) travaram o confronto mais agressivo destas eleições. Eles participaram, na noite de ontem(14/10), do primeiro debate do segundo turno, realizado pela TV Bandeirantes. 

Dilma acusou o tucano de nepotismo, chamou o adversário de “confuso”, criticou a gestão dele em Minas Gerais e lembrou denúncias envolvendo a construção de aeroporto no terreno do tio de Aécio.

Indignado, o tucano chamou Dilma de leviana e afirmou que a adversária diz “mentira atrás de mentira”. Ela rebateu no bloco seguinte: “Leviano foi o senhor”.

O debate esquentou no segundo bloco, quando Dilma questionou sobre o aeroporto no município de Cláudio (MG), construído pelo Estado mineiro quando Aécio era governador, em terreno que pertencia ao tio do tucano. “A senhora está sendo leviana, candidata, leviana”, reagiu o candidato do PSDB.

Aécio acrescentou que o Ministério Público Federal “atestou a regularidade” da obra, agradeceu a oportunidade de responder sobre o assunto e destacou que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tirou do ar propaganda petista sobre o assunto por, segundo ele, trazer informações falsas.

Na réplica, Dilma afirmou que o Ministério Público apenas não aceitou a ação criminal, mas prosseguia investigação por improbidade administrativa. E voltou a atacar: acusou o candidato de nepotismo em Minas, empregando uma irmã, um tio, três primas e três primos. “O senhor pode olhar no Governo Federal, não vai encontrar um parente meu”.

Aécio reagiu ainda mais indignado e afirmou que a candidata diz “mentira atrás de mentira”, que a campanha dela mente para se reeleger. E acrescentou que o Governo Federal virou “um mar de lama”. Disse ainda que Dilma precisará mostrar onde irmã dele trabalha no governo.

No bloco seguinte, Dilma questionou Aécio sobre segurança pública e apontou que o Estado teria um dos menores índices do Brasil de resolução de inquéritos. O candidato afirmou que a formulação da pergunta era confusa, mas apontou que, como presidente, pretende assumir o comando das ações nessa área, coordenando atribuição hoje a cargo dos estados. A candidata à reeleição rebateu a pecha: “Confuso é o senhor”.

Outro momento de conflito foi quando Aécio questionou sobre inflação e mencionou declaração do secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Márcio Holland, que sugeriu à população trocar carne por frango e ovo, devido à alta de preços.

A petista disse que a inflação é “profundamente passageira” e afirmou que, no governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB), o índice ultrapassou o limite máximo da meta. Aécio ironizou, dizendo que a candidata olha para ele e enxerga FHC. “Me sinto muito honrado”, completou.

Com informações O Povo Online